DESAFIOS NA PROMOÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA E SAUDE MENTAL NO TRABALHO EM UMA INSTITUIÇÃO HOSPITALAR

Supervisora: Profa. Sonia M.Morro Rossi
Acadêmicas: Luciane Udenal
Maria Ernestina P. Santos
Mariluce Barbeiro Pereira
Patricia Bernardi Marioto
Vânia Regina P. Sant
os

INTRODUÇÃO

Promoção de Qualidade de vida, redução de stress, prevenção e tratamento para os casos de  DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados  ao Trabalho) são desafios da modernidade, merecendo portanto, maior atenção dos pesquisadores da área saúde. Pôr estas e outras razões é que tais temas foram alvo da presente intervenção, desenvolvida pelas estagiárias do 5º ano de Psicologia da Universidade Estadual de Maringá./99, juntamente ao setor de Recursos Humanos do setor médico-Hospitalar.

Reconhece-se como mister que na economia de hoje, as empresas precisam se estruturar e investir em seu maior  capital, o ser humano,  para que estejam aptas a concorrer no mercado competitivo. A organização que não o fizer acarretará prejuízos para si própria, tendo em vista o sofrimento psíquico provocado pelas relações de trabalho que reduz por consequência a qualidade de vida do trabalhador.

DESENVOLVIMENTO

Diante de tal realidade, pôr meio de observações empíricas e com o uso de instrumentos de pesquisa, bem como,  informações obtidas no relatório das estagiárias de psicologia do ano anterior é que elaborou‑se o projeto de intervenção, tendo como necessidade e possibilidade de atuação: a formação de grupos referentes à DORT  e  Stress.

Considera-se que o Stress, a DORT, a apatia entre outros, são problemas vividos pelo cliente interno/funcionários, com repercussões diversas para todos os envolvidos no sistema indivíduo-organização. Pôr isso, acredita-se que ao se trabalhar com tais questões estamos contribuindo, de alguma forma, com a  promoção da qualidade de vida e saúde mental do ser humano,  gerando benefícios à todos.

Para o desenvolvimento do trabalho Anti-Stress, primeiramente realizou-se  a fase da sensibilização, objetivando sensibilizar e despertar o desejo das pessoas para  participar do grupo (chamado PAS ‑ Programa AntiStress), destinado a todos os funcionários da instituição. A partir desse trabalho formaram‑se seis grupos de aproximadamente 15 pessoas cada, que tiveram encontros semanais de 30 minutos. A metodologia para execução das atividades foram: dinâmicas de grupo, apresentação dialogada, exercícios de relaxamento e atividades manuais.

CONCLUSÃO

A análise dos resultados permitiu verificar que os objetivos foram alcançados. Conclui-se que o projeto teve boa aceitação, porém encontrou algumas resistências, consideradas como normais.

Para o trabalho com D.O.R.T. foi montado um grupo multidisciplinar - médico, fisioterapeuta, enfermeira do trabalho, gerente de desenvolvimento, estagiárias de Psicologia e o técnico em segurança. O objetivo era atingir não somente as pessoas afetadas pela síndrome, mas a toda instituição, principalmente no sentido de prevenção. Pôr isso a princípio foi realizada uma pesquisa para conhecer a realidade dos casos afastados do trabalho por tal distúrbios. As atividades tiveram início no mês de Outubro no Centro Integrado de Atendimento da Instituição, com exercícios físicos e esclarecimento a respeito da D.O.R.T./ L.E.R. que gradativamente seria estendido aos demais setores. Os resultados, mesmo sendo parciais, tendo em vista que o projeto estava no início, quando o estágio terminou, permitem observar que já promoveram  adequação do mobiliário e maior conscientização da importância da postura de cada uma para a prevenção da doença.

Ficou como recomendação para o próximo período letivo a continuação dos grupos de L.E.R/ D.O.R.T. e Stress, organizando mais adequadamente os horários, montar um grupo terapêutico de prevenção de D.O.R.T. e empreender trabalho de sensibilização sistematizado com o foco na conscientização das chefias, considerando seu poder de influência sobre os demais, como um fator importante  para prevenção em ambos os casos.

REFERENCIAL TEÓRICO

Chanlat, J. F. Um indivíduo nas organizações: dimensões esquecidas.Vol.II. SP: Atlas, 1994

Couto, H.A. Stress a Qualidade de Vida dos Executivos. RJ: C.O.P, 1987.

Dejours, C.  A loucura no trabalho. SP:Cortez, 1992.

Dias, M.A.S.  Saúde a Qualidade de Vida no Trabalho. SP: Bestseller, 1997.

Contato-Conselho Regional de Psicologia‑ 8a região Medicina a Psicologia Unidas no Tratamento da LER, Março/abril,1999.

Yamada, E. Noboru (1997) Mini FAQ Sobre LERs a Informática. Acesso em  www.ime.usp.br/~yamada/LER.html